Portais da Cidade
Xplosion games

Notícias na 25 de março

Listando: 1 à 5 de 1319
Cortex, empresa de dados, recebe aporte de R$ 120 milhões liderado pelo Softbank

Fundada pelos empresários Daniel Pires e Leonardo Rangel, a empresa desenvolveu uma plataforma voltada para marketing e vendas

A Cortex, empresa de dados, recebeu um aporte de R$ 120 milhões em recursos liderados pelo conglomerado japonês Softbank, a gestora Redpoint eventures e a Endeavor Catalyst, informou a empresa em comunicado à imprensa.

A empresa desenvolveu uma plataforma voltada a marketing e vendas que usa dados de mercado e informações internas de clientes, gerando, segundo eles, previsões e recomendações para a tomada de decisão. Segundo a Cortex, a plataforma atende clientes como Unilever, Fiat Chrysler, LOreal, Roche, Carrefour, Visa e Claro.

"Estamos entusiasmados com nossa parceria com a Cortex, que tem a grande oportunidade de ajudar empresas em toda a região", disse Marcelo Claure, presidente executivo do Grupo SoftBank Internacional, em nota.

A Cortex foi fundada pelos empresários Daniel Pires e Leonardo Rangel e possui escritórios no Rio de Janeiro e em São Paulo. Apesar de concentrar clientes no Brasil, a empresa também atende outros países da América Latina e Europa. Segundo Pires, o investimento vai possibilitar o desenvolvimento do produto e acelerar ainda mais o crescimento da empresa.

"Com esse novo investimento, seremos mais fortes para continuar crescendo e buscando nosso objetivo de disseminar a cultura analítica no país por meio de nossas soluções de inteligência de dados", afirmou Pires, também em nota.

(Fonte: André Vieira - Estadão) - 02/06/2020
Guaraná e Manu Gavassi: despertando a memória afetiva de gerações

Entrevista com Rafael Alves, líder de Creative Data da SOKO, aborda criação de filme e reconstrução de jingle "Pipoca e Guaraná" com Manu Gavassi

Todo brasileiro já nasce sabendo que pipoca e Guaraná andam juntos! E isso não é por ser algo óbvio, é quando as campanhas são feitas de forma tão impactante que acabam virando tradição. Se formos comentar sobre um jingle que marcou a história, não podemos deixar de reverenciar a composição “Pipoca e Guaraná” de César Brunetti. Feita para o Guaraná Antarctica em 1991, junto com a produtora de som MCR, a pedido de Nizan Guanaes que naquela época estava na agência DM9DDB. Assista abaixo vídeo da campanha original:





O jingle criado para Guaraná Antarctica, “Pipoca e Guaraná” foi feito exatamente para nunca mais sair do subconsciente dos brasileiros. E acabou se tornando uma memória afetiva de muitos brasileiros, e ao longo dos anos ganhou algumas versões repaginadas como a campanha da Claudia Leitte de 2010, Verão e Guaraná. Nessa versão o jingle de 1991 sofreu uma mudança na letra e trouxe em sua composição a característica do ritmo musical da cantora. Assista agora:



Cerca de 10 anos depois, para reforçar a importância do entretenimento em casa durante esse período de isolamento por conta do Covid-19, o Guaraná relança seu sucesso dos anos 90 em uma releitura pop com a cantora e atriz Manu Gavassi.

O projeto foi idealizado e criado pela SOKO, agência líder de Guaraná Antarctica, com produção totalmente remota da Hungry Man. No intuito de despertar um sentimento nostálgico em todos nós, o filme traz mais do que a letra do jingle original na voz da Manu Gavassi, produzido integralmente de forma remota. Ele também junta pedaços da cultura da época como bambolês e macacões jeans.

Feito totalmente durante essa quarentena, o vídeo foi dirigido virtualmente, enquanto a Manu transformava seu apartamento em cenário e seu celular em câmera. Mantendo todos seguros durante seu processo de produção.



Guaraná Antarctica transformou Pipoca e Guaraná em toda uma ação durante a quarentena. “Queremos levar mais diversão para quem pode ficar em casa e criamos uma plataforma de entretenimento.

Liberamos conteúdo gratuito na plataforma de Telecine por 60 dias para os fãs de cinema; transmitimos shows dos anos 90 no Festival Pipoca e Guaraná para arrecadar doações para os catadores de materiais recicláveis; e agora relançamos o jingle e o filme com uma releitura super atual”, conta Pedro Thompson, diretor de Marketing de Guaraná Antarctica.

A Soko, agência que está à frente da comunicação de Guaraná Antarctica desde janeiro, idealizou e executou todo o projeto, que também apresenta uma identidade visual nova: um ícone que mescla os formatos da pipoca e dos frutos de guaraná. O design ilustrará alguns produtos especiais, como moletom, meias e balde de pipoca, que serão divulgados por influenciadores nas redes sociais. (Sou só eu que já quero todos?)



Entrevistamos o Rafael Alves, Líder de Creative Data da SOKO, para entender como foi idealizada a campanha, seu processo de criação e todo o trabalho por de trás do projeto “Pipoca e Guaraná”.

Confira abaixo na íntegra:

ADNEWS – De onde surgiu a ideia de recriar a campanha antiga se mantendo fiel ao original?

Rafael Alves: Nesse contexto do isolamento social, entendemos que no jingle “pipoca e guaraná” existia um sentimento que resumia muito bem o que fazemos de melhor quando estamos em casa: sentar no sofá, escolher o filme, estourar uma pipoca e tomar um Guaraná. Além da música acionar a memória afetiva de muitas gerações e gerar um sentimento positivo instantâneo e tão bem-vindo neste momento, temos profundo respeito por tudo que a campanha de 1991 representa para a publicidade, e achamos que o melhor a fazer seria homenageá-la mantendo o jingle como ele foi pensado para ser.

AD – O jingle foi renovado anteriormente na campanha da Claudia Leite com “Verão e Guaraná”, dessa vez percebemos o valor dado a versão original da marca. No Brainstorm, surgiu a ideia de mudar o jingle ou vocês já começaram a campanha pensando na versão de 1991?

Rafael: Desde quando surgiu a ideia, tínhamos certeza que não mudaríamos a melodia ou a letra. Sabemos do poder nostálgico desse clássico e queríamos ele ao nosso favor. Claro que entendíamos que precisávamos trazê-lo para 2020, adicionando elementos da cultura popular vigente para que as novas gerações pudessem também se identificar e cantar a música para sempre.

AD – A regravação do Jingle, foi feita acompanhada da original? A escolha da Manu partiu da Guaraná ou da SOKO?

Rafael: O jingle foi gravado já na nova base que criamos com a Hefty. A escolha da Manu Gavassi partiu da Soko, depois de entendermos com clareza que ela oferecia ao projeto, além de uma voz incrível, carisma e impacto nas redes. Temos uma metodologia de análise de influência e aprendemos que faz muita diferença trabalhar com nomes como a Manu que, mais do que audiência e engajamento, têm fandom. Quando o talento escolhido tem fandom, o potencial de earned media de uma ideia é muito maior.

AD – Como o vídeo vem compor a campanha Pipoca e Guaraná? Podemos esperar algo mais dessa campanha?

Rafael: “Pipoca e guaraná” se tornou uma plataforma de marca. E, como tal, tem diferentes manifestações. Começamos o aquecimento no dia das mães, oferecendo 60 dias de Telecine grátis com o código PipocaEGuaraná, e realizamos recentemente o Festival Pipoca e Guaraná com um line-up que também causava nostalgia. O filme é o início da campanha. Nele já temos algumas pistas de outras coisas que virão pela frente, como a coleção-cápsula com a marca “pipoca e guaraná” que aparece no moletom, meias da Manu e balde de pipoca, por exemplo.

AD – Como foi criado?

Rafael: A Soko adota um processo de criação muito harmônico. A criação na agência se chama “Creative Data”, porque contempla a união de habilidades de inteligência de dados com criação. O processo é sempre tocado por um time multidisciplinar, com redatores, diretores de arte, designers, planners, especialistas em PR e dark social. Todos têm voz ativa em cada etapa do processo e consideramos todos criativos.

AD – Ele tem um toque de “Em casa”, o intuito foi trazer o comercial para a situação de agora de todos os brasileiros?

Rafael: Sem dúvidas. No fim, “Pipoca e Guaraná” é uma grande metonímia para aproveitar da melhor maneira possível esse momento em que precisamos de fato ficar em casa. Esse pensamento passa desde às ações – como lives e desbloqueio da Telecine -, como pelo filme que foi produzido remotamente. Por isso assinamos o filme com “feito em casa” que se transforma em “fique em casa”.

AD – A escolha das roupas e objetos foi no intuito de trazer uma pegada retrô e ao mesmo tempo moderna, como vocês pensaram nisso?

Rafael: O projeto partiu de um estudo extenso de design para a criação da plataforma de marca “pipoca e guaraná”. Nesse momento, definimos o logo da plataforma que combina os elementos de pipoca com o fruto de guaraná, a paleta de cores própria, tipografia e traço de ilustração, por exemplo. Então quando briefamos a Hungry Man, o universo visual a ser construído já estava muito claro para todos. A intenção não é ser retrô, mas equilibrar o sentimento nostálgico com um apelo atual. Do bambolê ao tik tok. Precisávamos garantir que quem viu o filme em 1991 e também quem nem era nascido nessa época se sentissem igualmente incluídos e parte dessa história. Isso transborda no vídeo, que mescla elementos pop, quase surrealistas, com momentos de família no sofá, objetos vintage e takes clássicos de appetite appeal.

Ficha técnica da campanha

Guaraná Antarctica

Pedro Thompson: Diretor de marca

Daniel Silber: Head de marca

Alexandre Lemos: Gerente de marca

Vitoria Lima: estagiária

SOKO, agência criativa

Fundador e Head de Creative Data: Felipe Simi

Head de Design (SOLID): Diego Limberti

Diretor Executivo de Creative Data: Rafael Caldeira

Líder de Creative Data: Rafael Alves

Planejamento: Alessandra Pacheco

Redator: Ayslan Monteiro

Redatora: Isabela Marangoni

Diretor de Arte: Juan Portilla

Diretora de Arte: Yumi Shimada

Diretora de Arte junior: Carol Cevdar

Data Scientist : Matheus Facci

Data Scientist: Bruna Coelho

Especialista em Dark Social: Kaerre Neto

Head de Operações: Brisa Vicente

Diretora de Atendimento: Renata Cintra

Gerente de atendimento: Maria Marianno

Líder de Operações: Larissa Kubo

Produtora: Tatiana Lima

Produtora: Daniele Moura

Fundador e Head de Media & Influence: Pedro Tourinho

Broadcaster: Maria Eduarda Fortes

Produtora de vídeo: Hungry Man

Diretor: Carlão Busato

Managing Partner: Alex Mehedff

Diretora Executiva: Renata Corrêa

Produtor Executivo: Rodrigo Castello

Business Affairs: Íris Gil

Diretor Executivo de Criação: Fabio Pinheiro

Line Producer: Mariana Barbiellini e Bea Couto

AD: Mariana Barbiellini e Luigi Parisi

Diretor de Fotografia: Fernando Bertoluci

Diretora de Arte: Olivia Helena

Efeitos e produto: Miranda Gibin

Head de produção: Luciana Martins

Coordenadora de Produção: Debora Lemes

Produção: Suzana Moraes e Juliana Costa

Head de pós-produção: Rodrigo Oliveira

Pós-produtora: Octopost Post Production

Pós-produção: Equipe Hungry Man

Montador: Vítor Amorim

Color Grading: Marla Color Grading

Produtora de Áudio: Hefty

Produtores: Edu Luke, Otávio Cavalheiro, Gustavo Boselli e Rud Lisboa

Atendimento: Debora Carvalho e Daniella Cabaritti

Coordenação: Cristiane Oliveira

(Fonte: Por Nicole Fanti Siniscalchi) - 02/06/2020
BRISANET COMPRA TRANSPONDERS DA PADTEC PARA ILUMINAR ROTAS NO NORDESTE

Investimento recorde da operadora cearense em novos sistemas DWDM da Padtec ampliam a capacidade total de transmissão de sua malha óptica de Gbps para Tbps

A Brisanet vai usar tecnologia da Padtec para ampliar a capacidade de sua rede no Nordeste. A operadora regional comprou transponders duais de 100 Gbps e 200 Gbps da fabricante paulista, que serão usados nas redes ópticas DWDM (Dense Wavelength Division Multiplexing).

Segundo Roberto Nogueira, CEO da Brisanet, os transponders permitirão à operadora elevar a capacidade total de transmissão “de Gigabits para Terabits por segundo, ainda neste ano”.

Os dispositivos fazem parte da plataforma LightPad i6400G da Padtec. “Uma das novidades técnicas dessa geração de transponders está nas interfaces de rede mais flexíveis, que permitem melhor adaptação dos canais ópticos às demandas de performance e de expansão da rede”, ressalta Argemiro Sousa, Diretor de Negócios da Padtec.

Argemiro lembra ainda que, só no Nordeste, a empresa já iluminou mais de 30 mil quilômetros de redes ópticas DWDM. “No Cinturão Digital do Ceará, por exemplo, o consórcio formado pela Brisanet e outros dois grandes provedores da região Nordeste construiu uma rede DWDM de alta capacidade, dimensionada para receber até 40 canais e preparada para transponders de 100 Gbps, que interliga várias cidades do estado”. (Com assessoria de imprensa)

(Fonte: Da Redação ) - 26/05/2020
USUÁRIOS RICOS E DO SUL E SUDESTE COMPRAM MAIS PELA REDE

A proporção chega a 79% na classe A e 16% nas classes DE em todo o país

Dados da pesquisa TIC Domicílios, divulgada hoje, 26, pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil apontam que o uso do comércio eletrônico para a compra de bens e serviços está mais concentrada entre os usuários ricos e das regiões Sul e Sudeste. O levantamento compreende o período de 12 meses antes da conclusão da pesquisa em março deste ano.

Aponta que 39% dos usuários fizeram fizeram transações no comércio eletrônico. A proporção chega a 79% na classe A e 16% nas classes DE. Também há diferenças regionais: 45% dos usuários de internet da região Sudeste e 26% da região Norte realizaram alguma atividade de comércio eletrônico nesse período.

Segundo a pesquisa, a maioria dos respondentes moravam em zona urbana (42%) e os outros em zona rural (19%). Eram homens (43%) e mulheres (36%) e de cor branca (45%). A maior parte com idades entre 16 e 59 anos.

STREAMING EM EXPANSÃO
De acordo com a pesquisa, no quesito “Atividades culturais”, 74% dos brasileiros conectados gostam de assistir a vídeos e 72% deles também ouvem música. Isso corresponde a pouco mais da metade da população acima dos 10 anos que realiza tais atividades (56%), havendo, nos últimos anos, uma ampliação do consumo de serviços via streaming, como Netflix, Spotify e YouTube.

Os vídeos, programas, filmes ou séries são mais assistidos em sites ou por aplicativos de compartilhamento de vídeos, com 46% de adeptos; já os aplicativos de mensagens instantâneas respondem por 44% da preferência dos usuários para o consumo de conteúdo, seguidos pelas redes sociais (38%) e por serviços por assinatura (33%). O pagamento para assistir a filmes e séries na Internet ocorre em quase a metade dos indivíduos da classe A, e cerca de um terço da classe B, sendo pouco comum entre usuários das classes C e DE.

ATIVIDADES NA INTERNET
As atividades de comunicação são as mais comuns no uso da rede, sendo o envio de mensagens instantâneas realizado por 92% dos usuários de Internet, seguido pelo uso de redes sociais (76%) e chamadas por voz ou vídeo (73%), em crescimento nos últimos anos.

A busca por informações também está entre as principais atividades realizadas na internet, sobretudo a busca por produtos e serviços (59%), seguida por assuntos relacionados a saúde ou a serviços de saúde (47%). Essa última apresenta uma proporção menor entre pessoas de 60 anos ou mais (39%) e nas classes DE (31%).

Ainda, 41% dos usuários de internet afirmam efetuar atividades ou pesquisas escolares na rede, sendo que 40% estudam por conta própria e 12% realizam cursos à distância. Apenas um terço dos usuários (33%) fazem trabalho pela Internet, sendo que essa proporção representa menos da metade da força de trabalho (45%).

(Fonte: ABNOR GONDIM) - 26/05/2020
Zuckerberg: Facebook adotará trabalho remoto permanente

Mesmo após afrouxamento das medidas do isolamento causadas pelo coronavírus, Facebook vai manter trabalho remoto

O Facebook vai adotar o trabalho remoto permanente, mesmo após o afrouxamento das medidas de isolamento causadas pelo coronavírus, disse o presidente-executivo, Mark Zuckerberg, a funcionários nesta quinta-feira, acelerando a diversificação geográfica do setor de tecnologia para longe do Vale do Silício.



Figuras humanas com logotipo do Facebook ao fundo. 12/4/2020. REUTERS/Dado Ruvic
Foto: Reuters

Zuckerberg disse que a maior rede social do mundo começará a "implantar agressivamente a contratação remota", esperando que cerca de metade de seus funcionários trabalhe remotamente dentro dos próximos cinco a 10 anos.

A empresa adotará uma abordagem mais calculada com os funcionários atuais, com base na sua função e desempenho, disse ele, e estabelecerá o prazo de 1º de janeiro de 2021 para que a equipe atualize a empresa sobre sua localização.

O Facebook, que já disse que vai manter os planos de contratar 10 mil engenheiros de produtos e funcionários este ano, também construirá três novos hubs em Atlanta, Dallas e Denver, onde os trabalhadores remotos dessas áreas podem se reunir ocasionalmente.

"Estes não são necessariamente escritórios", disse Zuckerberg, embora a empresa deva criar "algum tipo de espaço físico" para acompanhá-los. "A ideia para esses hubs é que queremos criar uma escala. Queremos focar a energia de recrutamento em algumas cidades onde podemos chegar a centenas de engenheiros".

Ele previu algumas economias ligadas a imóveis, alimentação e mão-de-obra, já que os altíssimos pacotes de remuneração do Vale do Silício serão ajustados se os funcionários do Facebook optarem por morar em regiões menos caras.

O efeito sobre os custos não é claro, disse Zuckerberg, já que a economia será parcialmente compensada por custos adicionais relacionados a viagens e tecnologias associadas à instalação de equipamentos de trabalho em casa.

(Fonte: Katie Paul - Reuters) - 21/05/2020
Listando: 5 de 1319

Anuncie

Sobre o Portal da 25

O Portal da 25 foi lançado em 01 de maio de 2001, tendo como objetivo principal a divulgação de empresas e produtos comercializados na região da rua 25 de março no centro da cidade de São Paulo, focando-se principalmente em produtos voltados para área pessoal e doméstica.